clickbait-19-04-22-capa-blog

CLICKBAIT

Conseguir visibilidade e principalmente atenção do público, sempre foi um objetivo perseguido com determinação, especialmente na internet, onde a disputa para aparecer na primeira página se tornou quase que obsessão.

Entre muitas coisas o CLICKBAIT foi visto por muitos como um meio de atingir tal conquista. Mas afinal o que é o Clickbait? Possui algum risco? Posso ou não utilizar?

Conhecer melhor sobre esse assunto e tudo que ele envolve, é indispensável para todos aqueles que desejam realizar um trabalho consistente e, sobretudo, fundamentado em princípios, respeito ao visitante / cliente.

O que é clickbait

Clickbait é um termo em inglês que em tradução livre fica “isca para clique” ou “clique isca”, que se compõem de títulos extravagantes ou divergentes do seu conteúdo. Tal como a isca colocada no anzol pelo pescador e que tem a função de atrair o peixe e assim fisgá-lo, o clickbait usa o artificio para “fisgar” o internauta induzindo ou estimulando-o para clicar no link.

E se isso já não fosse o bastante, quando no contexto de um conteúdo qualquer para a Internet, geralmente o clickbait pressupõe uma situação que envolve sensacionalismo e acima de tudo falta de compromisso parcial ou total com a verdade. Por exemplo, matérias que envolviam o programa do governo (auxílio emergencial), diversas páginas utilizavam-se de artifícios do clickbait para atrair e fisgar o público ao qual buscava determinada informação. Matérias como – GOVERNO LIBERA PARCELAS DE R$600 – mas no conteúdo da notícia mostravam apenas especulações sobre tal beneficio ou informações de determinados estados, sendo assim o classificando como um Clickbait.

 Afinal, um título sensacionalista, pode servir em alguns cenários e para alguns públicos, desde que satisfaça a audiência a qual se destina. O problema é que geralmente não é isso o que acontece. O clickbait não se resume a uma chamada sensacionalista apenas.

Um clickbait típico, é caracterizado quando o título relacionado ao conteúdo, ou a imagem, ou o texto descritivo ou ainda tudo isso junto, parece tão incrível ou promete algo que ninguém mais é capaz de entregar, sendo quase impossível resistir ao clique, mas na prática ao acessar o respectivo conteúdo, ele não corresponde ao que se esperava encontrar. Criou-se uma expectativa e a realidade não correspondeu. As consequências, são muitas e nada positivas.

Qual o problema de usar clickbait?

Bem, deve estar evidente para quase todo mundo as consequências de usar artifícios como as “iscas de clique”. O visitante do site, da rede social, do conteúdo que foi acessado usando tal “estratégia”, não vai encontrar exatamente o que supunha encontrar. E mesmo quando se entrega parcialmente, nos casos em que o conteúdo não seja tão sensacional como o título fazia parecer, o leitor do blog, o seguidor, sentirá no mínimo decepção. Nos casos mais extremos e que são a maioria, pode sentir-se enganado.

Seja qual for o sentimento e que geralmente é negativo, a consequência mais danosa é a perda de confiança. É importante lembrar que são necessários muitos cuidados com conteúdos na Internet, pois em algum momento devem contribuir para vender, para criar um conceito e/ou imagem, para educar, para informar, enfim deve cumprir um propósito claro e bem definido. No fundo, tudo – ou quase tudo – são Vendas.

As pessoas não compram apenas quando estão dispostas a dar dinheiro em troca de um produto e/ou serviço. Quando uma empresa contrata um colaborador, ela está pagando por alguém que vai atender necessidades, carências, desejos e expectativas que a empresa tem e que o candidato pode suprir. É um processo de Vendas.

Um casamento, é a concretização de um acordo mútuo em que cada parte vê no outro as mesmas necessidades, carências, desejos e expectativas que cada cônjuge espera que o outro seja capaz de atender. Também é um processo de Vendas, aqui recíprocas. Quando um visitante reserva alguns minutos do seu tempo, da sua atenção, para consumir um conteúdo de qualquer tipo de site, ele quer que esse tempo tenha valido a pena. Quer que sua atenção seja recompensada. Muitas vezes, quer também outras coisas, como respeito. É um terceiro tipo de venda, no caso de informação.

Mas quando nada disso acontece, são imensas as chances de ter construído uma péssima imagem, de ter perdido um visitante para o futuro e ter formado uma péssima reputação digital. Costuma-se dizer em Vendas, que vender uma vez é fácil. Vender a segunda, a terceira, ou a enésima vez, é outro papo. E isso nos leva a outro ponto importante…

Por que usa-se o clickbait?

Logo no início destacamos algumas das palavras-chave que sempre nortearam o trabalho do Marketing e ainda mais do Marketing Digital e que são: visibilidade, destaque e atenção. Há muitas possíveis justificativas para uso do clickbait. A mais óbvia, é a maneira mais fácil de conseguir atenção e por consequência, visibilidade e destaque.

Alguns são imediatistas e simplesmente não enxergam as consequências e quando veem, é tarde demais. Sistemas que de alguma forma monetizam por simples visualização / impressão, cliques, crescimento artificial de tráfego, são incentivos a essa prática.

Qual a alternativa ao clickbait?

Bem, se você é dos que acompanha nosso blog regularmente, é possível que já tenha na ponta da língua as muitas respostas a essa pergunta.

É importante reiterar que dedicar atenção, usar de criatividade, inovar, escolher palavras-chave adequadas, bem como as de cauda longa ou long tail, nos títulos dos seus conteúdos, não é o problema. No artigo “Título do seu conteúdo: a diferença entre sucesso e fracasso!”, na parte das dicas para criar o título, uma delas trata da importância de haver relação estreita entre o título e o conteúdo.

Para isso acontecer, tudo ou pelo menos os principais pontos nos quais o trabalho de Marketing de Conteúdo se apoia, precisam ser observados.

Conclusão

O clickbait tornou-se uma prática para produzir muitos cliques e consequentemente muitas visitas. No entanto, os meios usados para conseguir esse comportamento dos internautas, produz consequências graves e algumas irreversíveis.

Este foi o blog de hoje, espero que tenha ficado mais claro uma das práticas que são vistas com maus olhares pela comunidade do marketing, e como trazer a atenção do público sem utilizar essa de clickbait.

Para mais artigos sobre Marketing Digital, acesse nosso blog.

 

Atenciosamente

Miguel Gomes
Gerente de Contas