Está na hora de Planejar o seu E-commerce.

Está na hora de Planejar o seu E-commerce.

De pequena a grande empresa, o que faz mantê-la aberta, é o dinheiro. A pouco tempo atrás a única chance de realizar vendas era somente na loja física, mas com as evoluções tecnológicas o ambiente online tem mudado a forma de pagar, receber o produto e principalmente de vender.  

O e-commerce (em português, comércio eletrônico) é uma forma de comércio onde os negócios e transações financeiras são realizadas de forma online e com a ajuda de dispositivos tecnológicos, como computadores, smartphones e afins. Parece uma coisa muito simples, mas acredite, não é. 

Você conhece algum e-commerce? Já realizou alguma compra online? Por qual meio você prefere realizar as suas transações? De fato, a tecnologia veio para mudar a forma de vender e comprar, e podemos fazer uma breve conclusão que, quem não se adaptar ficará para trás. 

 

Como é um e-commerce? 

O comércio eletrônico pode conter diversos canais de vendas. O mais acessado é a loja virtual, mas existem os marketplaces, vendas em redes sociais e até por e-mail marketing. A estrutura de um e-commerce funciona da seguinte maneira: 

  • Exposição do produto: 

Há toda uma estratégia para que o seu público seja atraído ao seu produto, seja por conteúdos em redes sociais ou chamadas por envios de e-mail, além do mais, a busca do Google ajuda muito nessa parte. Por isso é tão importante investir no SEO da sua empresa. Se você não sabe o que é, clique neste link e veja o nosso artigo: “Como ficar na 1º página na busca do Google? Conheça SEO.” 

  • Pagamento:  

Após ter exposto o seu produto, chamado a atenção dos seus clientes e ter capturado, agora será a vez de concluir a compra e concretizar a venda.  

  • Entrega da mercadoria:  

E para finalizar, a entrega da mercadoria. Para isso a empresa precisa ter uma alta capacidade no setor de logística e estar preparada para qualquer situação. Para produtos e serviços prestado online o esquema é diferente. 

Para isso indicamos um investimento em uma agência, no ato da contratação é passado tudo a limpo e explicado da melhor maneira possível. Além disso, existe um acompanhamento e consultoria para saber onde e quando a empresa pode melhorar. Lembrando, que tudo precisa ser estudado, desde o processo de criação de conteúdo, até a entrega.  

Em uma das lojas virtuais, será exposto (como fosse em uma vitrine). O cliente que está querendo comprar irá filtrar o produto e escolher o que mais gostar. Nessas “vitrines” normalmente são inseridas fotos ou vídeos para demonstrar a qualidade, design e cores do produto. Nisso se o cliente gostar, ele poderá adicionar ao carrinho e finalizar a compra ou simplesmente pular para a parte do pagamento.  

 

Processo de pagamento. 

Cada empresa possui uma peculiaridade, cada empresa precisa estudar uma diferente forma de pagamento, para que futuramente não vire uma dor de cabeça para a empresa. Na certa é bom pesquisar, analisar e definir qual forma de pagamento será melhor para a empresa!  

 

Exemplos de e-commerce. 

Até agora, explicamos o que é um e-commerce, o processo de pagamento e agora vamos entender que tipos temos. Antes disso, saiba que lá pode vender entre produtos físicos ou digitais (ebooks, cursos e ferramentas digitais).  

O mercado digital é muito amplo e o alcance é maior ainda. Vamos imaginar, por exemplo, um salão de cabeleireiro que oferece um curso de cortes e o alcance dessa empresa é em uma cidade, apenas. Podemos transformar isso em um curso online e vender. São, essas e outras alternativas que o Marketing Digital oferece a sua empresa. 

  • Marketplaces 

O marketplaces funciona como fosse um shopping virtual, onde a empresa disponibiliza espaço para que as marcas possam vender. Assim, é instaurado uma concorrência e o cliente escolhe o produto que certamente o convêm. Podemos citar a Amazon, Submarino e as Lojas Americanas.  

  • E-commerce  

B2C é um modelo de negócio, em que a empresa visa o consumidor final. Sendo assim a única forma é a venda para o consumidor final e a grande maioria das lojas é encaixada nesse tipo de negócio. 

B2B também é um modelo de negócio, porém, a sua finalidade é diferente. Dentro do comércio eletrônico as empresas fazem transações com as outras, sendo que isso pode significar revendas, transformações ou consumo. 

 

Quais são os e-commerce atuante no Brasil? 

Magazine Luiza: Em 1992, quando a internet era uma grande novidade, a empresa começou a investir fortemente no e-commerce, conseguindo alcançar lugares que até mesmo com as lojas físicas era impossível de chegar. Atualmente ela trabalha com produtos variados que vai de móveis, a cosméticos. 

Mais de duas décadas depois, o modelo de venda ainda continua crescendo e evoluindo, e a empresa ainda continua investindo em modernidade. Podemos ver o reflexo a modernidade no ano de 2003 quando lançaram a Lu, uma assistente eletrônica de vendas. É nesse momento que conseguimos enxergar a grande evolução e capacidade da empresa. 

Dafiti: Essa empresa trabalha com moda e estilo de vida, e conta com um portfólio abrangente. São mais de 100 mil produtos e diversas marcas diferentes, que vai de roupas e calçados, a itens de decoração. Uma empresa que está sempre inovando e sendo cada vez mais digital. A empresa chegou em meados de 2011 e até hoje continua apostando no seu catálogo de moda. 

Poderíamos listar diversos outro e-commerce, como, a Saraiva (livros e produtos de papelaria), Dell (computadores e acessórios), Riachuelo (moda, que utiliza a plataforma Magento) e a Madeira Madeira (móveis e decoração). 

Bom, existem vários e-commerce, e se fosse para comentar todos ficaria uma lista enorme.  

 

Quais são as vantagens do comércio virtual? 

Construir um local de venda online para a sua empresa é muito vantajoso. 

  1. Diminuição de custo: Não precisa manter uma loja física, basta ter um local para estocar e despachar os pedidos. E além do mais, os custos para manter uma loja online aberta é inferior à de manter uma loja física.  
  2. Alcance: Tudo depende da sua disponibilidade e a vontade de investir. O comércio online é um mercado amplo, você pode vender na sua cidade ou até mesmo em um estado diferente (a não ser que o seu produto seja perecível). 
  3. Métricas: Diferentemente da loja física, algumas plataformas disponibilizam métricas para saberem a quantidade de pessoas que visualizaram o seu produto, também aquelas que enviaram o produto ao carrinho, mas desistiram.  
  4. Conforto para o cliente: Melhor do que atender é deixar o cliente livre para escolher o produto que ele quer, além disso, ele compra na hora e no lugar que ele quiser. E se tudo correr bem, a sua empresa terá mais um cliente fiel. 

Faça um teste e tire as suas próprias conclusões, o mundo digital está aí para ajudar a sua empresa a se colocar no mercado digital de uma forma diferente. E quem não se adaptar ficará para trás! 

Bom por hoje é isso, o que você achou das nossas dicas? Não deixe de ver nossos outros posts, tem muito conteúdo de qualidade para você que quer aprender mais sobre marketing digital.  Em caso de dúvidas, entre em contato com um de nossos consultores.  

Grande abraço e até o próximo post.  

Equipe Agência Sincro.